Pesquisar neste blog:

quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

2015 - O que vem por aí...


Então vamos à minha lista dos filmes mais aguardados do ano:

01. Duas continuações de mega-franquias:

Jurassic World: O Mundo dos Dinossauros (Jurassic World)
Aventura/Fantasia - 11 de Junho
Dir.: Colin Trevorrow
Com Chris Pratt, Judy Greer, Ty Simpkins

Star Wars: Episódio VII - O Despertar da Força (Star Wars: Episode VII - The Force Awakens)
Aventura/Fantasia - 17 de Dezembro
Dir.: J.J. Abrams
Com Harrison Ford, Mark Hamill, Carrie Fisher, Andy Serkis


02. Untitled Cold War Spy Thriller (filme ainda sem título)
Drama/ Thriller - 16 de Outubro (EUA)
Dir.: Steven Spielberg
Com Tom Hanks, Amy Ryan, Eve Hewson


03. Tomorrowland: Um Lugar Onde Nada é Impossível (Tomorrowland)
Ficção-científica - 28 de Maio
Dir.: Brad Bird
Com George Clooney, Britt Robertson, Hugh Laurie


04. The Visit (ainda sem título em português)
Suspense - 11 de Setembro (EUA)
Dir.: M. Night Shyamalan
Com Kathryn Hahn, Ed Oxenbould, Benjamin Kanes


05. Dois filmes de "trapaceiros":

Mortdecai: A Arte da Trapaça (Mortdecai)
Ação/ Comédia - 19 de Fevereiro
Dir.: David Koepp
Com Johnny Depp, Ewan McGregor, Gwyneth Paltrow, Olivia Munn

Golpe Duplo (Focus)
Crime/ Comédia - 27 de Fevereiro
Dir.: Glenn Ficarra, John Requa
Com Will Smith, Margot Robbie, Rodrigo Santoro


06. The Martian (ainda sem título em português)
Ficção-científica - 25 de Novembro (EUA)
Dir.: Ridley Scott
Com Jessica Chastain, Kate Mara, Matt Damon


07. Divertida Mente (Inside Out)
Animação - 02 de Julho
Dir.: Pete Docter, Ronaldo Del Carmen
Vozes de Diane Lane, Kyle MacLachlan, Amy Poehler

 

08. O Coração do Mar (In the Heart of the Sea)
Drama/ Aventura - 19 de Março
Dir.: Ron Howard
Com Chris Hemsworth, Cillian Murphy, Ben Whishaw

 
09. Pixels (ainda sem título em português)
Comédia/ Ficção-científica - 30 de Junho
Dir.: Chris Columbus
Com Michelle Monaghan, Adam Sandler, Peter Dinklage


10. Mais continuações de mega-franquias:

Vingadores: Era de Ultron (Avengers: Age of Ultron)
Ação - 30 de Abril
Dir.: Joss Whedon
Com Robert Downey Jr., Chris Evans, Scarlett Johansson

O Exterminador do Futuro: Gênesis (Terminator: Genisys)
Ação/ Ficção científica - 02 de Julho
Dir.: Alan Taylor
Com Emilia Clarke, Jai Courtney, Arnold Schwarzenegger

Spectre (007 ainda sem título em português)
Ação - 12 de Novembro
Dir.: Sam Mendes
Com Daniel Craig, Christoph Waltz, Léa Seydoux. Monica Belluci


Missão Impossível 5 (Mission: Impossible 5)
Ação - 25 de Dezembro (EUA)
Dir.: Christopher McQuarrie
Com Tom Cruise, Rebecca Ferguson, Jeremy Renner

quarta-feira, 24 de dezembro de 2014

Os diretores e o Natal


Ano passado a Fourgrounds Media criou um vídeo bacana de como seria a noite de Natal se fosse dirigida por cineastas famosos:



Este ano, veio o "Volume 2", com outros diretores:



Bom... um "Feliz Natal, seu animal imundo" pra todos!!!

quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

Frio na Guerra Fria


Hoje é aniversário do cara.
O cara.

E, coincidentemente, a Entertainment Weekly divulgou com exclusividade a primeira foto da produção de seu filme ainda sem título envolvendo espionagem na Guerra Fria:



Feliz aniversário, Spielberg, muitos anos de filmes.


terça-feira, 16 de dezembro de 2014

Seja jedi ou seja sith, o Yoda sempre vem...


Um camarada resolveu combinar no clima natalino com a expectativa pro Episódio VII: O Despertar da Força...


Só que Natal é agora, e o filme só Dezembro que vem. Paciência, jovem padawan.

sábado, 13 de dezembro de 2014

Eu sou


"I am" supercut.

sábado, 22 de novembro de 2014

e=mc S2

(Texto com SPOILERS de Interestelar. Não leia sem ter assistido ao filme)

Existe muita discussão sobre quão cientificamente correto Interestelar é. Isso é válido, desde que não invada o território da crítica cinematográfica com a noção de que se a ciência é mal usada ou errada, o filme é ruim. Se acuracidade técnica fosse parâmetro adequado para se julgar uma obra de arte, pobre seria de Picasso e suas escolhas bizarras na retratação da anatomia humana.

O que vem incomodando na maioria das análises da turma científica é a aversão à Dra. Brand, "do nada", ter inserido o amor na equação. Difícil é enxergar o óbvio. Interestelar nunca foi sobre viagens intergaláticas, buracos negros, o futuro da humanidade, tecnologia e outra dimensões. Isto tudo é apenas pano de fundo desta grande parábola moderna sobre pais e filhos. E, como não podia deixar de ser com um tema como este, o amor é a peça-chave da narrativa, a força motriz que impulsiona a ação dos personagens e fomenta suas motivações.

É por amor aos filhos que Cooper embarca na viagem espacial - para salvar a humanidade de tabela, mas primariamente para salvar seus filhos. É por amor aos filhos que ele se lança, em uma missão suicida, para tentar captar os dados dentro do buraco negro, a única esperança para os que ficaram na Terra.  É por amor, egoísta (pra dizer o mínimo), à filha que Professor Brand esconde seu segredo do mundo e dela. "Não se conta à sua filha de 10 anos que o mundo vai acabar", certo? Não é que o amor faz os pais enxergarem seus filhos eternamente como seres pequenos que precisam de sua proteção? E mandá-la para o espaço era sua única possível salvação, provavelmente também sua única chance de ser feliz: perpetuando a espécie ao lado do amado Edmunds. Não é extrapolar muito imaginar também que é o instintivo amor materno, incubado em qualquer mulher, que atrai Dra. Brand ao planeta de Edmunds.


O filme também parece abraçar a ideia de que amor de mãe é maior que amor de pai. Murphy (a personagem, não a lei) é a síntese disto. Só um autêntico coração de mãe, com todo o histórico de alegria e tristezas que uma família daquele tamanho certamente a ofereceu durante anos, poderia demonstrar compaixão tamanha quanto a implícita na dispensa de Cooper: "Nenhum pai deve ver seu filho morrer". Realmente, só se conhece o verdadeiro amor entre pais e filhos, após se ter um filho.

Se o amor é o combustível desta alegoria toda, o tempo é o vilão. Os dilemas de Cooper, aceitar ou não a missão, atrasar ou não seu retorno, remetem às realidades de todos os pais que se vêem divididos entre esticar mais no trabalho, visando melhores condições para os filhos, ou se esforçar para passar mais tempo com eles. E este tormento é potencializado no filme através da relatividade. A cena em que Cooper volta à nave, 23 anos terráqueos depois, e assiste aos videos de seu filho crescendo é de partir o coração. Dele foi roubada a oportunidade de "se tornar as lembranças de seu filho". O medo de qualquer pai se tornou realidade para Cooper. Dizem que o tempo cura tudo, mas o que cura o tempo?

É comum grandes produções utilizarem um título falso durante as filmagens, para não chamar muita atenção. Não é à toa que Christopher Nolan escolheu "Flora's Letter" para esta. Tem gente que se expressa bem escrevendo, tem gente que é através da oratória. Nolan se expressa com maestria através de imagens e sons. Quando for mais velha, mãe talvez, sua filha Flora provavelmente enxergará Interestelar não como uma exemplar obra de ficção científica, mas sim como o que verdadeiramente é: uma carta de seu pai à ela. Uma elaborada, e bela, carta de amor.

sábado, 15 de novembro de 2014

300


Exatos seis anos depois do primeiro, o blog chega ao tricentésimo post.


Quem diria que iria durar tanto?

terça-feira, 11 de novembro de 2014

Pais e filhos


Então aqui vai um enorme, e merecido, elogio a Interestelar: Spielberg não teria feito melhor.


Vá ao cinema. Já.
(só não compre uma Coca de 500ml - são quase 3h de filme e você não pode perder nem um minuto)

terça-feira, 4 de novembro de 2014

A nova geração da arte


Autorretrato do meu filho de 3 anos.

Não precisou tirar as orelhas, como Van Gogh, mas a camisa, sim, como indica o umbigo claramente ali retratado.


"A tela invoca uma dicotomia de cores puras, justapostas lado a lado, intensificando a marca do pincel atômico como recurso expressivo. A interlocução abstracionista segmentada por geometrias cubistas abandona os cânones clássicos em favor de uma multiplicidade de curvas que sugerem as formas do corpo, com as protuberantes elipses oculares manifestando a curiosidade proverbial da natureza típica do universo etário do artista. Apartado por uma divisão cromática surrealista, o céu não deixa de ser um instrumento satírico que transfigura o sol em uma pitoresca explosão de traços em vermelho vivo, pairando triunfante sobre nuvens que não se coadunam."
(Revista Fine Art Connoisseur)

terça-feira, 28 de outubro de 2014

Goonies brasileiro


Programa garantido para as férias escolares deste fim-de-ano, O Segredo dos Diamantes estreia 18 de Dezembro:

http://cinema.uol.com.br/noticias/redacao/2014/10/28/estilo-goonies-chega-ao-cinema-brasileiro-com-o-segredo-dos-diamantes.htm


Filme feito em Minas, por um mineiro, mas para o Brasil inteiro.

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Carta ao Pablo Villaça


Caro Pablo,

Acesso o Cinema em Cena quase que diariamente há mais de 15 anos. Comprei e li seu livro sobre o Helvécio Ratton, assistia ao seu programa na TV Horizonte e cheguei até a participar de uma edição especial que aconteceu ao vivo. Divulgo constantemente o site e links para suas críticas. Leio frequentemente seu blog e torci por você nos momentos difíceis de sua vida ali relatados.

Por estas e outras, fiquei extremamente chateado ao saber que o Cinema em Cena ia sair do ar. Não hesitei um minuto quando vi que estavam promovendo um sistema de assinatura para mantê-lo vivo. Havia uma indicação de conteúdo exclusivo para assinantes, mas nem prestei atenção: para mim aquela assinatura anual (que, no fim das contas, era o equivalente a menos de R$10/mês) era o mínimo que alguém podia colaborar para ao menos manter tudo como está. Assinei o Cinema Em Cena com orgulho de todos envolvidos.

Porém, o orgulho passou. Nos últimos meses, o seu antes interessante blog passou a se tornar palco de ofensas a quem não compartilhava de sua orientação política. Sim, isto já havia acontecido antes em eleições passadas, mas desta vez, talvez devido à disputa acirrada da corrida presidencial, a situação se agravou. Você passou a tratar como ignorantes os eleitores dos políticos rivais aos seus. Comentários com questionamentos ou contra-argumentos às verdades absolutas colocadas em seu blog foram sumariamente excluídos. Ou somos mesmo burros e não somos dignos de comentar suas ideias ou então nossos comentários eram pertinentes e não deveriam chegar aos que estivessem lendo seus textos doutrinários.

Faltou humildade, Pablo. Pode tentar recuperar os pouquíssimos comentários que fiz no seu blog nos últimos meses, e que foram excluídos, e verá que em nenhum momento fui ofensivo (muito longe de mim): apenas tentei estabelecer uma discussão cívica e necessária. Torci para ver ali um lampejo daquele Pablo que chegou retificar sua crítica de A Dama na Água para retirar o texto em que ofendia os possíveis espectadores que tinham gostado do filme, para deixar as ofensas apenas aos realizadores do filme.

Faltou humildade como falta a vários petistas. Note que, ao contrário de você, não generalizo - tenho muitos amigos e parentes petistas que não saem cegamente ao ataque. E, além de já ter votado mais de uma vez em candidatos do PT,  não sou um pessedebista, nem muito menos um burguês. Você não deve rotular qualquer um que não concorde com muita coisa que vem sendo feito pela atual gestão e que não acredita que ela seja a única opção para quem "tem familiar que lutou contra a ditadura" ou para quem "quer um país melhor para seus filhos".

Faltou humildade como faltou à Dilma, que se recusa a reconhecer o que significa ter uma vitória tão, tão apertada... "Não acredito, sinceramente, do fundo do meu coração, não acredito que essas eleições tenham dividido o País ao meio." É, matematicamente, 51,4% a 48,6% realmente não é uma divisão ao meio. Vitória absoluta e incontestável.

Hoje, muito precoce e tristemente, decidi abandonar o CeC e cancelar minha assinatura, Pablo. Não é pelos "menos de R$10/mês". Você mesmo pregou que nossas convicções têm que vir acima de tudo e não posso apoiar o trabalho de alguém que me insulta, ou despreza, por causa das minhas. Sei o que você está pensando, e concordo plenamente: eu é que saio perdendo. Realmente, vou deixar de acessar o melhor site de cinema que existe no Brasil e vou parar de ler as excelentes críticas da única referência nacional que tenho consideração (e nada, sinceramente nada, nessa frase foi em tom de ironia). Você ganha: fica livre de um cara que votou no Aécio e que gostou de Dama na Água. De quebra, não perde seu tempo para apagar comentários estúpidos em seu blog. Pro Cinema em Cena, um leitor a mais, um a menos: tanto faz...  E minha assinatura não faz falta nenhuma, tenho certeza absoluta. Agora, se um dia o bicho pegar, tenho certeza que a Dilma passa a autorizar o uso do Vale Cultura para assinatura de web-sites também.

Bons filmes,
Zé Roberto, ex-leitor.

Pablo Villaça é crítico de cinema e diretor do site Cinema em Cena.

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Não pare para pensar


Depois de sete anos de espera por material inédito, Pato Fu lança dois clipes para promover o novo álbum, 'Não Pare Para Pensar'.

Cego Para as Cores

You Have to Outgrow Rock'n Roll

Muito bom.


terça-feira, 21 de outubro de 2014

Pirataria é crime


Cinco capas de DVDs piratas...
(clique nelas para aumentar)

J. Edgar 
Difícil até de comentar.

Batman Begins
Tem tanta coisa "boa" aqui, mas o destaque maior é a sinopse, vale uma lida. Especialmente esta parte: "e os equipamentos o tornaram uma outra pessoa: Homem-Aranha".

Eu Sou a Lenda
Esse acertou pelo menos uma coisa: realmente este (juntamente com Um Sonho de Liberdade) é o filme em que Adam Sandler tem sua atuação mais memorável.

Encontros e Desencontros
Por que o Bill Murray tá tão parecido com o Dustin Hoffman neste filme??? Deve ser a barba. Ou chapéu. Ou o Johnny Depp em cena do Em Busca da Terra do Nunca. 

True Detective
WTF???
Não há o que dizer.
Tudo, tudo aqui é" WTF???" total.


sábado, 18 de outubro de 2014

Overdose de heróis


Em um bom período em que fiz natação, já adulto, a turma tinha dois professores que se intercalavam conforme disponibilidade. Um tinha o costume de dar as orientações do que fazer nos próximos 5 a 10 minutos, para dar os próximos passos somente após aquela primeira tarefa ser concluída. O outro chegava e já passava o que tinha que ser feito praticamente a aula inteira: tantas chegadas de crawl, depois tantas de costas, depois mais tantas de peito, etc. Mesmo que na aula do primeiro acabasse sendo feito, após doses homeopáticas, exatamente o que seria feito na do segundo, o fato é que, com o segundo, já batia um desânimo, uma preguiça e um cansaço antes mesmo de começar a nadar.

Apesar do sucesso de público, e das críticas positivas, das continuações de Thor, Capitão América, dos novos X-Men e de Guardiões da Galáxia eu acabei não os assistindo (assim como os dois do Espetacular Homem-Aranha), pois já vinha me desgastando com filmes de super-heróis. Pra completar, a DC Comics fez como a Marvel havia feito há alguns meses e divulgou sua programação de lançamento de filmes até 2020. Se eu já estava com preguiça de entrar nesta piscina, agora que sei o tanto que tem que ser nadado, só tenho vontade de sair e pegar a toalha.

Para se ter uma ideia, são quase 30 (!) filmes de super-heróis confirmados para os próximos seis anos:

2015:
-Os Vingadores 2: A Era de Ultron (MARVEL)
-Homem-Formiga (MARVEL)
-O Quarteto Fantástico (FOX/MARVEL)
-X-Men: Apocalypse (FOX/MARVEL)
2016:
-Capitão América: Guerra Civil (MARVEL)
-Doutor Estranho (MARVEL)
-Batman e Superman: Alvorecer da Justiça (DC)
-Esquadrão Suicida, ou Força Tarefa X (DC)
-O Sexteto Sinistro (SONY/MARVEL)
2017:
-Guardiões da Galáxia 2 (MARVEL)
-Thor: Ragnarok (MARVEL)
-Pantera Negra (MARVEL)
-Mulher-Maravilha (DC)
-Liga da Justiça: Parte Um (DC)
-Continuação sem título de Wolverine (FOX/MARVEL)
-O Quarteto Fantástico 2 (FOX/MARVEL)
-Venom (SONY/MARVEL)
2018:
-Os Vingadores: Guerra Infinita Parte I (MARVEL)
-Capitão Marvel (MARVEL)
-Inumanos (MARVEL)
-Flash (DC)
-Aquaman (DC)
-O Espetacular Homem-Aranha 3 (SONY/MARVEL)
2019:
-Os Vingadores: Guerra Infinita Parte II (MARVEL)
-Shazam (DC)
-Liga da Justiça: Parte Dois (DC)
2020:
-Cyborg (DC)
-Lanterna Verde (DC)

Sinceramente, pouquíssimos (os dos Vingadores, Batman e Superman e os da Liga da Justiça) me despertam o interesse. Pro resto sobrou foi a preguiça.


Já errei o prognóstico da Marvel pré e pós Vingadores, então não vou nem arriscar em dizer que o efeito desta enxurrada anunciada será negativo em todo mundo, como foi em mim. Aliás, com a sempre crescente bilheteria do gênero, parece que o fôlego acabou só pra mim, mesmo.

terça-feira, 14 de outubro de 2014

Todo o Depp


Cosplayers são seres sem noção. Ou gastam muito e arrumam fantasias idênticas aos personagens que querem homenagear, ou não têm medo do ridículo e simplesmente saem por aí com roupas espalhafatosas, crentes que estão idênticos aos personagens que querem homenagear.

Mas, geralmente, são muito criativos. Como, por exemplo, o indivíduo abaixo, que tentou sintetizar numa fantasia única o maior número possível de personagens interpretados por Johnny Depp.


Sucesso?

quinta-feira, 9 de outubro de 2014

Valdisney


No aeroporto de São Luis assisti, sem som, à propaganda de uma agência de turismo local. As imagens vinham com legendas. Assim, cenas da Torre Eiffel, do Big Ben, etc. vieram rotuladas como "Europa", enquanto da Estátua da Liberdade, Central Park, etc. como "Estados Unidos". Em seguida, abaixo de alguns parques temáticos, apareceu: "Disney".


Pessoal, pessoal! Não existe um voo São Paulo - Cidade do Panamá - Disney. A não ser que você limite uma viagem internacional somente aos parques Magic Kingdom, Epcot Center, Hollywood Studios, Animal Kingdom, Typhoon Lagoon e Blizzard Beach, você não "vai pra Disney". Caso queira também visitar coisas como Universal Studios, Islands of Adventure, Sea World, Legoland, Discovery Cove, Acquatica e Busch Gardens, entre tantas outras atrações, você está indo para Orlando.

É isso, simples assim. Orlando, na Flórida, é a cidade que abriga muitos atrativos turísticos, incluindo (mas nem de longe limitada a) os parques da Disney

Ah, a Flórida é um dos Estados Unidos da América. Mas que bom que a tal agência maranhense faz viagem não só pra Disney, mas pros EUA também.

sexta-feira, 3 de outubro de 2014

Todo o Potter


Nas últimas semanas (ou meses, se bobear) parece que está sempre passando um filme do Harry Potter na TNT, qualquer hora do dia e da noite.

E, como tem um fã incondicional do bruxinho em casa, fatalmente qualquer horário que a TV não esteja no Discovery Kids, vai estar na TNT.

Será que a concorrência diminui se eu simplesmente imprimir esta história em quadrinhos de uma página só em um formato bem grande e pregar na sala?

(Clique aqui para uma resolução melhor. Contém spoilers de Harry Potter, mas se você tem TNT e muda de canal lentamente, certamente já viu tudo, mesmo que fragmentado e fora de ordem)

terça-feira, 30 de setembro de 2014

Testando o óbvio


A palavra é "Mutantes".


Qual a primeira coisa que vem a sua cabeça?


a)

b)
c)
d)
 e)


O óbvio para um nem sempre é o óbvio para o outro!

E esse "joguinho" mostra isso: http://whoisthemostfamous.com/play

terça-feira, 23 de setembro de 2014

10 anos e ainda imbatível


Ontem fez dez anos que Lost estreou na TV norte-americana.


Até pensei em fazer um post específico aqui para relembrar aquela que foi, e ainda é, a melhor série de todos os tempos.

Mas, um outro camarada aí na net já fez um ótimo trabalho em separar os 16 grandes momentos (que facilmente poderiam ser 23, 42, 108 ou 815), com vídeo e tudo. A lista dele beira à perfeição - e foi corajosa por incluir o final, que eu também defendo com unhas e dentes. Vale a conferida:

http://www.pajiba.com/seriously_random_lists/10-years-later-the-top-16-greatest-moments-on-lost.php

Já deu pra matar as saudades. E pra despertar a vontade de ver tudo de novo.

segunda-feira, 22 de setembro de 2014

Olha pro céu


Interstellar é a grande expectativa do ano já há um bom tempo.

E de uma série de excelentes cartazes lançados estes dias, o que mais me fascina é o mais simplista deles:


A cativante imagem estimula a imaginação e desperta curiosidade sobre o filme na medida certa. Ainda remete a uma série de lembranças da minha infância e de quebra ressoa, por vários motivos, com True Detective.


quinta-feira, 18 de setembro de 2014

Chaaaaato...


"As pessoas andam muito chatas. Ou então sou eu que ando muito chata. Não, eu não, eu tenho certeza bissoluta de que continuo legal como sempre fui. Mas, então, de onde foi que saiu essa moda esquisita de toda e qualquer declaração de qualquer pessoa ter que ser sumária e imediatamente rechaçada e criticada? Digamos que você diga/poste em algum lugar que vai tomar uma xícara de café. Em dois segundos alguém comenta "mas não é com açúcar não, né, açúcar faz um mal danado". Voilà, é o que basta para soar o gongo do MMA virtual, com discussões que beiram o bizarro (porque, né, ninguém quer ouvir ou conversar sobre as ideias, a manha é berrar seu ponto de vista e ganhar o bate-boca na marra). O curioso é que o manjado triunvirato de antanho - futebol, religião e política - não é mais o único vilão, qualquer assunto tem o potencial de virar polêmica. E aí é que tá, você nunca vai saber sobre qual tema é seguro conversa. Parece que tá todo mundo na vibe daquele colega de república do meu tio."

Não encontrei um texto tão objetivo (e divertido, por que não?) que expressasse com tanta exatidão o que venho sentido há um bom tempo.  Eu não deveria, portanto, delongar mais no assunto. Mas vou, um pouquinho.

Certa vez, falei com um colega de serviço: "OK, essa é sua opinião. Mas, ela está errada." Era, claro, uma brincadeira. Só que parece que todo mundo anda fazendo isso de verdade. Ninguém mais aceita a opinião dos outros. Se bobear, ninguém mais sequer escuta a opinião dos outros.


Aliás, ninguém mais tem nem opinião. Não. O que todo mundo tem é a verdade. Absoluta e incontestável. E se um outro alguém disser algo contrário, está errado ou não tem propriedade sobre o assunto. Isso em qualquer assunto.

Exemplo bobo: meses atrás me envolvi num "debate" no site do Pato Fu (e/ou da Fernanda Takai). Basicamente porque a Fernanda gravou uma música de seu novo CD solo com o Padre Fábio de Melo e também uma outra com o Paulo Miklos, exaltando a Copa do Mundo, para o Banco Itaú. As críticas foram várias, afinal como que pode "gente morrendo em hospitais, criminalidade galopante, corrupção sem fim, jogadores mercenários, treinador mafioso, políticos ladrões e o Patu Fu (sic) entrando neste ‘circo’ da Copa ‘caça-níqueis’/falcatruas/2014"? Passei a defender a liberdade de escolha da banda, mesmo porque eles nunca levantaram nenhum tipo de bandeira. Pelo contrário, sempre foram bastante ecléticos, flertando com variados estilos, parceiros, versões e modalidades artísticas diferentes em 22 anos de carreira tendo, inclusive, já feito várias vinhetas pra Globo, show em comício político em BH, cedido Sobre o Tempo pra propaganda de montadora de veículos, lançado CD com regravações de músicas religiosas para um desfile do Ronaldo Fraga e composto canção ufanista pra embalar as Olimpíadas do ano 2000. Mas... "as coisas estão bem sérias, quem presenciou o nível de repressão e o absurdo que tem sido a criminalização dos movimentos sociais sabe bem disso. E quando se escolhe fazer parcerias com essas forças repressoras, capital e igreja, tem sim, de aguentar questionamentos".

Parece que quanto menor o mundo fica, conectado, mais as pessoas sabem de tudo. E mais as pessoas têm a necessidade (e facilidade) de dar o pontapé inicial do tal MMA virtual. É fácil postar um comentário no site do Pato Fu. É fácil mandar e-mail desaforado pro GNT enquanto o Saia Justa está no ar. É fácil expor ideias pretensiosas publicamente - qualquer Zé pode ter um blog.  É fácil, e cômodo, destruir a opinião alheia numa rede social. Por sinal, acho que o Zuckerberg só não colocou botão de 'dislike' no Facebook pra não sobrecarregar seus servidores...

Pitágoras sempre esteve certo. O mundo não é chato mesmo. As pessoas é que são. A época de construtivos debates filosóficos ficou pra trás. Agora a tendência é terminar tudo em tragédia grega.

(A autora do texto inicial é Mônica Veado, uma amiga da família e minha ex-professora de inglês. Uma pessoa realmente legal. Tão legal que, no começo da década de 90, eu escolhia minha turma na Cultura Inglesa não pelo nível que eu deveria fazer, mas olhando em qual ela seria professora. Acho que foi ali que ela começou a perceber quão chatas as pessoas podem ser.)

terça-feira, 19 de agosto de 2014

Blown Up


A falta de tempo tá quase quase transformando isso daqui num divulgador de vídeos, mas este não podia ficar de fora:

terça-feira, 29 de julho de 2014

Game Over Atari


Saiu o trailer do aguardado documentário sobre o evento que desencadeou o fim da Atari nos anos 80.

Saiba o que o Spielberg tem a ver com isto:


Xbox, Playstation... Cuidado com os próximos filmes do James Cameron ou Michael Bay.

quarta-feira, 16 de julho de 2014

E se uma criança tivesse criado o mundo?


Essa eu vi no UOL, mas como sei que tem muita gente que acessa mais este blog do que esses mega-portais que existem por aí, resolvi divulgar aqui.

O artista holandês Telmo Pieper resolveu recriar, de maneira realista, alguns desenhos que havia feito quando criança. O resultado é muito bacana:











Agora quero ver ele fazer Picasso ou Miró de maneira realista...

segunda-feira, 30 de junho de 2014

Celebridades


Em época de Copa no Brasil, notícia de cinema é assim: "A atriz global Bruna Marquezine, namorada de Neymar Jr., atuára em Hollywood num filme sobre celebridades da web, dirigido pelo roteirista de Ela Dança, Eu Danço 5."

Uau.

sábado, 21 de junho de 2014

A la cancha


Uma conjunção astral (que inclui a boa vontade de alguns entes queridos) vai me permitir ver uma partida de Copa do Mundo ao vivo no estádio hoje.


Olhando pro ingresso, rapidamente me veio à cabeça três excelentes filmes:

Nove Rainhas, O Segredo dos Seus Olhos e A Separação.





Argentina 2 x 1 Irã.

Bom palpite pro jogo?

Dificilmente.

quarta-feira, 18 de junho de 2014

Valar... ou não


ATENÇÃO! Texto com SPOILERS até o fim da quarta temporada de Game of Thrones.

Em uma temporada recheada de episódios acima da média, o final da quarta foi... bom. Apesar de certamente ser o melhor dentre os 'seasons finales' da série.

Depois do episódio mais cinematográfico da saga até agora, mas onde nada evoluiu, muita coisa voltou a acontecer. E foi mais ou menos assim:

- Eu tenho um exército de CEM MIL homens! (E um número extremamente pequeno e propositalmente indeterminado de gigantes!)
Meia dúzia de palavras depois...
A cavalaria está chegando! (Quase dá pra ouvir a típica fanfarra de faroeste)
Meia dúzia de mortes depois...
- Recuem! Meu povo já sangrou demais. (É... melhor se render: ninguém quer ver sangue de CEM MIL homens. Afinal, se 300 já derrotaram um exército inteiro - e Cersei estava lá - que estrago não fará um exército de sabe-se-lá-quantos, comprado com dinheiro de Braavos?)
Ops... e será que dá tempo de enviar um corvo praqueles 400 homens que estão escalando a Muralha em um trecho não vigiado e distante dali?

Cena seguinte: uma mulher conversa com uma pessoa que pode utilizar métodos não ortodoxos para curar um cara bem forte que está mortalmente ferido. Não, não é aquela cena da 1a. temporada em que Daenerys pede a bruxa pra curar o Khal Drogo. Mesmo que ambas terminem com: "Posso até salvá-lo, mas ele nunca mais será o mesmo."

Aí, vem ela: Daenerys, Nascida da Tormenta, a Não Queimada, Rainha de Meereen, Rainha dos Ândalos dos Rhoinares e dos Primeiros Homens, Khaleesi do Grande Mar de Grama, Quebradora de Correntes, Mãe de Dragões, Primeira de Seu Nome, da Casa Alcântara Bibiano Xavier de Paula Leocádio Gonzaga Targaryen. Depois de cansar de libertar escravos que não queriam ser libertados e de matar mestres que não mereciam ser mortos, ela resolve prender seus dragões numa catacumba. Agora os produtores podem ficar mais tranquilos com o orçamento e livres de perguntas chatas como "Onde diabos estavam os dragões quando Daenerys atacou Meeren?" ou "Onde diabos estavam os dragões praticamente a temporada inteira???"

Depois do funeral da Muralha, onde quase rola um flerte de Jon Snow com Melissandre (simpática, né? - você não sabe nada mesmo, Jon Snow), acontece a primeira morte significativa do episódio. Bom, isto se alguém se importasse com -ou ao menos se lembrasse do nome de- aquele menino que andou com o Bran por aí (no caso, ele andou e o Bran... bom, deu pra entender).

É, ele acabou sendo apunhalado por esqueletos guerreiros.


E daí surgiu uma criança que lançava bolas de fogo da mão. Não errava uma. Os professores de Hogwarts devem ter ficado orgulhosos.

E o Bran conversou com um velho preso numa árvore, que tem um papinho enigmático ruim estilo Mestre dos Magos. O ancião já foi muitas coisas. Ele pode ou não ser o corvo de três olhos, mas esteve observando a turma do Bran com mil e um olhos (998 +3, se ele for o tal corvo). É. Ah!... E ele vai fazer o Bran voar. (Tipo o Neo no final de Matrix ou tipo a tia Lysa no Ninho da Águia?)

- Hodor! Hodor!
(- PQP, livre finalmente! Este moleque cresceu 2 metros desde que comecei a carregá-lo três temporadas atrás!)

Depois rola uma luta bacana entre Clegane e Brienne. Com direito a golpe baixo de ambas as partes. E nas partes de baixo de ambos. Enfim. E a Arya? Rouba o dinheiro do Cão e o deixa às moscas pra morrer. A Ruthinha é boa, a Arya é má.

Aí... vem o Tyrion. Estrangula o amor da sua vida e mata também, a flechadas, seu próprio pai, ironicamente sentado no trono (o básico, mesmo, não O de Ferro).

Viram só? Vocês assistem a Game of Thrones e esperam torcer por alguém bonzinho? Não há bonzinhos! Tyrion virou um assassino! Arya virou uma assassina! Sansa virou cúmplice de um assassino! Sam Tarly falou um palavrão no episódio anterior! Vai então torcer pro jacu do Podrick ou pelo Gendry, aquele filho do Baratheon que fugiu num barquinho há mais de uma temporada e que ninguém deu mais notícia (numa hora dessas deve estar confraternizando com Jack, Kate, Sawyer e Locke).

E então o Dona Aranha Varys ouviu o sino, que claramente significa que o Mão foi assassinado pelo anão, e pensou rápido: "Putz, tô ferrado. Será que o Jamie vai dedar que eu ajudei Tyrion a fugir? Será que vão colocar uma Mão mulher no lugar do Tywin? Um Mão esquerda que não tem a direita? Um Mindinho sequer? Não vou ficar aqui pra ver." E partiu, pra deixar o Pequeno Conselho menor ainda.

Também partiu a Arya, pra Braavos. Provavelmente pra aprender a mudar de cara.

São uns dez meses de viagem até começar a próxima temporada. É bom não toparem com nenhum navio Greyjoy (especialmente com um Ramsey Bolton dentro) no meio do caminho.

quinta-feira, 12 de junho de 2014

Começa hoje


Da porta da casa da minha vó, no Santa Tereza, dá pra ver o Estádio do Independência. E por anos ouvi a entusiasmada lembrança de um tio meu, sobre o grande congestionamento no entorno do "Campo do Sete" pra partida da Inglaterra na Copa de 1950. 

Agora tenho a oportunidade de vivenciar algo tão especial também. 

Não importa o que dizem os chatos de plantão, este é um momento histórico para o país. Vou ter lembranças singulares para contar também, nem que seja de grandes congestionamentos. 



segunda-feira, 26 de maio de 2014

Surdos, mudos e míopes


Está sendo inaugurado o "revolucionário" sistema de transporte coletivo de Belo Horizonte. E dá-lhe propag... ehr... vídeo institucional/ instrutivo na TV.

Foi minha esposa quem reparou, e como sempre ela tem razão: para pegar ônibus em BH agora você pode ser surdo-mudo, mas não pode ser míope ao mesmo tempo...


Falta de respeito, né? Ou então a PBH está com alguma mensagem subliminar agressiva do tipo: se for surdo, mudo e ainda por cima tiver problema de visão, fique em casa (afinal, com esse tanto de buraco em nossos passeios, não queremos você aumentando a fila do SUS).

quinta-feira, 22 de maio de 2014

O vento e o movimento


O holandês Theo Jansen prova que dá pra unir engenharia e arte...


Nunca mais veremos tubos de PVC com os mesmos olhos.

Sensacional.

terça-feira, 13 de maio de 2014

Meia, a farsa


Em 11 de Outubro do ano passado, uma sexta-feira, paguei no Cinemark Pátio Savassi R$26,00 pelo ingresso, inteira, de uma sessão 3D de Gravidade. Claro que tive que rever o filme. Minha surpresa foi descobrir que o ingresso da inteira 3D no Cinemark BH Shopping na segunda-feira, 14 de Outubro, estava R$9,00. Não me sinto confortável fazendo isto (muito menos escrevendo), mas resolvi comprar uma meia entrada no guichê eletrônico, considerando que um comprovante antigo e não mais válido, de uma pós que fiz, passaria batido na entrada. Pois o rapaz que recolhia os ingressos nem sequer pensou em pedir minha identificação de estudante.

Primeiro ponto: entendo a prática de preço diferenciado por dia, mas justifica um valor ser praticamente três vezes maior que o outro?

E mais: cada dia que passa estou mais convencido de que os cinemas (e casas de show) cobram na meia o valor que gostariam, de fato, receber. O valor de inteira é lucro extra. Não há como quebrar esta prática e garantir meia só pra quem tem direito mesmo e estabelecer um valor justo para inteira?

Afinal, a matemática é cruel: com o valor de uma ida "legal" na sexta uma pessoa consegue ir, com subterfúgios, seis vezes na segunda-feira.

quinta-feira, 8 de maio de 2014

Ih! Books...


Fica a dica de um estimado primo meu: link para vários livros digitais em português sobre cinema, além de roteiros de alguns longas nacionais.

Aproveitando, link para um livro de 1971 do Jerry Lewis, baseado nas aulas que dava sobre cinema.  Em inglês, afinal trata-se de uma raridade.

Dica bônus: já foi um passatempo meu, quando havia tempo para passar, ler roteiros. Antes era mais difícil de achar, mas agora tem vários sites como este: The Internet Movie Script Database.

Boas leituras!


quinta-feira, 1 de maio de 2014

Simply the best


Teste de conhecimentos.

Quem foi o melhor piloto de todos os tempos?

A resposta é óbvia, mas vai uma múltipla escolha para facilitar:

a) O que pilotou esta McLaren Honda MP4-4 em 1988

b) O que pilotou esta McLaren Honda MP4-5 em 1989

c) O que pilotou esta McLaren Honda MP4-5B em 1990

d) O que pilotou esta McLaren Honda MP4-6 em 1991

e) O que pilotou esta McLaren Honda MP4-7A em 1992

f) O que pilotou esta McLaren Ford MP4-8 em 1993


Triste lembrar que a Fórmula 1 acabou há exatos 20 anos.